Guia de Doenças Dermatológicas

Busque abaixo pelas principais doenças relacionadas à dermatologia:

Acne

Popularmente conhecida como "espinha", a acne é uma dermatose muito frequente, principalmente entre adolescentes e adultos jovens. Trata-se de uma doença inflamatória crônica que acomete a face, tórax e as costas, tendo origem no folículo pilossebáceo (formada por uma glândula sebácea e um pelo rudimentar), na qual, a obstrução dos poros, o excesso de oleosidade, a infecção pela bactéria P. acnes e a inflamação são os principais fatores que a ocasionam. Alterações hormonais, ambientais e alimentação também exercem grande influência na sua fisiopatologia.

Tanto para o tratamento das lesões de acne quanto de suas cicatrizes, é importante ter a orientação de um dermatologista, que poderá avaliar o tipo de acne, seu grau de comprometimento da pele, e utilizar fatores como a idade do paciente e seu estilo de vida para promover um tratamento eficaz e personalizado.

 

Câncer de Pele (ver também Melanoma)

Os principais fatores de risco para o desenvolvimento do câncer de pele são exposição solar intensa, bronzeamento artificial, predisposição individual, história familiar de câncer de pele, pele clara e múltiplas pintas. Os principais tipos são o carcinoma basocelular, o carcinoma espinocelular e o melanoma.

Deve-se ficar atento ao aparecimento de pintas e/ou sinais novos, tanto pretos quanto avermelhados, aumento de lesões preexistentes, aparecimento de múltiplas cores em uma pinta "antiga", irregularidade das bordas da lesão, lesões que sangram com facilidade e múltiplas "casquinhas avermelhadas" com superfície áspera que ocorrem principalmente em áreas expostas ao sol.

O médico dermatologista éo profissional mais apto para fazer este diagnóstico com precisão e precocidade pelo exame clínico, exame com o uso do dermatoscópio (espécie de lupa) e, se necessário, por biópsias. Para isso, uma consulta, semestral ou no mínimo anual, possibilita o diagnóstico precoce e as melhores opções terapêuticas.

 

Eczemas ou "Alergias"

Os eczemas são um grupo de doenças dermatológicas, caracterizados por placas vermelhas bastante pruriginosas, que, em determinadas situações, podem apresentar vesículas (bolhas de água).

São inúmeras as causas e os tipos, destacando-se os eczemas atópicos ou dermatite atópica, a disidrose, o eczema asteatósico, o eczema ou dermatite de contato e a dermatite seborreica. Os eczemas não são doenças contagiosas, mas podem ser bastante desconfortáveis e sofrerem influência do estado emocional do paciente.

O tratamento se diferencia em cada caso, iniciando-se pela caracterização do eczema, definição da sua origem e do seu desencadeante e, se for o caso, afastamento do principal agente causal.

O dermatologista é o profissional que tem a competência de identificar a causa do eczema e promover o tratamento específico.

 

Foliculite

Acontece no local da derme onde é produzido o pelo, e caracteriza-se por uma infecção superficial dos folículos pilosos, com aparecimento de bolinhas avermelhadas, algumas vezes com pus. Se a inflamação for intensa, formam-se nódulos maiores e dolorosos.

É causada por bactérias do tipo estafilococos, que estão presentes normalmente na nossa pele, e possui tanto causas congênitas (quem nasce com a pele mais espessa e pelos encaracolados e grossos tem maior tendência a desenvolver), como de hábitos como o de usar roupas justas e de tecidos sintéticos, como calça jeans, que atritam os pelos e ressecam a pele, resultando na oclusão do orifício de saída. Pode ocorrer também em decorrência da depilação ou raspagem do pelo.

Como prevenir:
Prefira roupas largas e confortáveis, de tecido de fibras naturais como algodão. Se for realizar raspagem dos pelos, respeite a direção do crescimento do pelo. Caso o problema se torne prolongado, procure seu dermatologista.

 

Herpes Simples

Trata-se de uma infecção causada pelo vírus herpes humano (HSV 1 e 2) que se caracteriza pelo aparecimento de pequenas bolhas agrupadas especialmente nos lábios e nos genitais, mas que podem surgir em qualquer outra parte do corpo.

A transmissão se dá pelo contato direto das lesões com a pele ou a mucosa de uma pessoa não infectada. As lesões cutâneas – pequenas bolhas cheias de líquido claro ou amarelado que formam crostas quando se rompem – é precedida por alguns sintomas locais como coceira, ardor, agulhadas, formigamento e que desaparecem em uma semana aproximadamente. A primeira infecção costuma ser mais grave e o restabelecimento completo, mais demorado. Nas recidivas, os sintomas são os mesmos, mas menos intensos.

Recomendações:
• Consulte um dermatologista se suspeitar que está com herpes simples, uma doença que não é grave, mas requer tratamento específico;
• Lave sempre as mãos e evite tocar as lesões, quer as suas, quer as de outras pessoas;
• Alguns fatores, como traumatismo, estresse, exposição prolongada ao sol e menstruação, entre outros, favorecem o aparecimento de recidivas. Na medida do possível, procure controlá-los.

Vacinas estão sendo testadas para tratamento e prevenção do herpes simples, mas nenhuma foi comprovada ser totalmente eficaz. No entanto, existem medicamentos antivirais que ajudam a diminuir o período de evolução da crise herpética e os sintomas, mas para isto, consulte sempre seu dermatologista.

 

Herpes Zóster

Herpes Zóster éuma infecção viral que provoca vesículas na pele e geralmente é acompanhada de dor intensa. Ela pode acometer qualquer parte do corpo, mas é mais frequente no tronco e no rosto, evidenciando-se como uma faixa de vesículas em apenas um dos lados do corpo.

É causado pelo vírus varicela-zoster – o mesmo agente da catapora – e acomete pessoas que tiveram catapora em algum momento da vida e ficaram com este vírus latente (adormecido) em gânglios do corpo. Anos mais tarde, esse vírus pode reativar e reaparecer na forma de herpes zóster.

Qualquer pessoa que teve catapora em algum momento da vida pode desenvolver herpes zóster. Depois de se recuperar da catapora, o vírus fica alojado em gânglios próximos ao sistema nervoso e permanece latente por anos. Eventualmente pode reativar e "viajar" ao longo das vias nervosas para a pele produzindo as erupções. Cerca de 20% das pessoas podem ter herpes-zóster em algum momento da vida.

Embora não seja uma condição de risco de vida, o herpes zóster caracteriza-se por ser muito doloroso. O médico dermatologista éo profissional indicado para prescrever o melhor tratamento para o Herpes Zóster. Vacinas podem diminuir as chances de se ter a doença, enquanto o tratamento precoce reduz a chance de complicações.

 

Hiperhidrose ou Suor Excessivo

O excesso da produção de suor, ou hiperidrose, é uma doença extremamente desconfortável, com consequências sociais importantes, afetando, em muitos casos, a qualidade de vida do paciente.

Sua ocorrência mais frequente é nas axilas, nas mãos e nos pés. Ela pode ser focal (quando acomete determinadas áreas do corpo), primária generalizada (quando acomete maior área corpórea e sem causa aparente) e secundária generalizada (quando é decorrente de alguma condição clínica, como menopausa e alterações da tireoide).

O tratamento é bastante eficaz e engloba desde uso de medicações tópicas, sistêmicas, tratamento com toxina botulínica e, em alguns casos, cirurgia.

 

Infecções Fúngicas/Micoses/Tineas

É uma doença infecciosa bastante comum, ocasionada por diversos tipos de fungos. O contágio ocorre através do contato entre pessoas, pelo uso compartilhado de objeto contaminado e até pelo contato com chão e piscina, quando contaminados. Ambientes quentes e úmidos são propícios para o desenvolvimento de tais infecções. Os locais mais acometidos são os pés, a virilha e as unhas.

O tratamento se baseia em mudança de hábitos e uso de medicamentos antifúngicos específicos, tópicos, sistêmicos ou a laser.

 

Melasma

O melasma é uma doença dermatológica, caracterizada por manchas acastanhadas irregulares no rosto, colo e nos braços. Está associado ao aumento do estímulo sobre os melanócitos, células da pele responsáveis pela produção de pigmento, ou seja, pela tonalidade da pele. Acomete principalmente mulheres em idade fértil, no entanto, 10% dos casos ocorrem no sexo masculino.

Embora a causa do melasma seja desconhecida, são fatores importantes para o seu aparecimento o histórico familiar, exposição solar, e, no caso das mulheres, uso de anticoncepcional, fase gestacional e reposição hormonal.

O tratamento é baseado em clareadores tópicos associados a fotoproteção. Os tratamentos podem ser complementados por procedimentos médicos realizados no próprio consultório, como, por exemplo, peelings químicos.

 

Melanoma

Trata-se do tipo de câncer de pele mais agressivo, que se origina dos melanócitos, que são células produtoras de melanina (pigmento que determina a cor da pele). O melanoma aparece na superfície da pele. Quando não detectado a tempo, ele se infiltra na profundidade da pele, podendo atingir vasos sanguíneos e linfáticos e pode também se espalhar para outros órgãos (metástase).

Ele pode surgir na pele normal ou de uma pinta preexistente, com coloração acastanhada ou enegrecida e bordas irregulares e assimétricas, que podem coçar ou sangrar. Para auxiliar na detecção dos sinais perigosos, é importante seguir a regra do ABCD:

A: assimetria
B: bordas irregulares
C: cor variável, ou seja, várias cores na lesão: preta, marrom, avermelhada etc.
D: diâmetro maios que 6 mm

Caso tenha alguma pinta com essas características, érecomendado realizar uma consulta com o dermatologista para diagnóstico e acompanhamento das pintas.

Prevenção:
A exposição solar é o principal fator ambiental para o desenvolvimento de melanoma. Portanto, recomenda-se uso de protetores solar, evitar exposição solar prolongada e uso de vestimentas adequadas como óculos, chapéus e roupas protetoras. A realização de autoexame da pele periodicamente também é recomendado.

É simples: basta ficar de frente para o espelho e olhar todas as regiões do corpo, iniciando pela sola dos pés, seguindo pelas pernas, tronco e finalizando na face e couro cabeludo.

 

Molusco Contagioso

O molusco contagioso é uma doença infecciosa, relativamente comum (principalmente em crianças), causada pelo poxvírus.

Sua transmissão ocorre pelo contato físico entre pessoas e pelo contato com superfícies contaminadas. É comum observar mais de uma criança infectada numa mesma sala de aula, em especial nos primeiros anos escolares.

Trata-se de uma lesão benigna e o seu tratamento é baseado na remoção das lesões após anestesia tópica (pomada). Na maioria das crianças, esta remoção pode ser realizada no próprio consultório dermatológico.

 

Psoríase

Doença inflamatória não contagiosa, que pode afetar pessoas de qualquer idade, entretanto aparece mais frequentemente entre os 15 e 35 anos. Ela pode afetar a pele, as unhas, o couro cabeludo e as articulações. Geralmente, inicia-se como lesões vermelhas e descamativas na pele.

É uma doença ainda bastante enigmática, multifatorial, com componente genético importante. Ela pode ser desencadeada por fatores psicológicos, estresse, uso de alguns medicamentos, frio e infecções.

As possibilidades terapêuticas englobam uso de medicações tópicas, medicações sistêmicas e fototerapia (tratamento através de exposição à radiação Ultra-Violeta).

O tratamento individualizado é fundamental para maiores períodos livre da doença.

 

Queda de Cabelo / Alopecia

A queda de cabelo é uma das queixas bastante frequentes ao dermatologista e pode significar desde enfermidades do próprio couro cabeludo até doenças sistêmicas, como desequilíbrios hormonais.

Em determinadas situações, como mudanças hormonais, associadas à idade, doenças da tireoide, alterações nutricionais, deficiências vitamínicas, situações de estresse, acontece um desbalanço nesta unidade pilossebácea e se percebe a diminuição do volume capilar, o afinamento do fio e até mesmo áreas maiores em que não se observa nenhum fio.

As principais causas desta queda são as alopecias não cicatriciais: a alopecia adrogenética (ou calvície), a alopecia areata e o eflúvio telógeno.

O diagnóstico e tratamento precoce, sob orientação do dermatologista, é fundamental para restaurar o equilíbrio do couro cabeludo e evitar a progressão para cicatrizes.

 

Rosácea

É uma doença dermatológica crônica e relativamente comum, que se inicia frequentemente com um aumento da sensibilidade e da vermelhidão no rosto, podendo evoluir para lesões que lembram as espinhas. Em 50% dos casos podem ter acometimento ocular.

Os principais sintomas são: pele seca, sensível, com vasinhos vermelhos facilmente visualizados, pápulas que lembram as espinhas da acne e a ocorrência de "flushes" (rubores repentinos). Nestas situações, a pele precisa de cuidados especiais, com orientações específicas de cremes e sabonetes adequados.

Em algumas situações são necessários medicamentos por via oral e tratamentos a laser, sempre sob orientação de um médico dermatologista.

 

Unhas (Doenças da unha)

Alterações de coloração e textura das unhas podem indicar diversas condições clínicas.

As unhas têm importância tanto estética quanto funcional no organismo. Algumas alterações de suas características, como coloração, textura, espessamento, quebra, aparecimento de manchas e depressões, podem ser indicativas de diversas doenças, tanto sistêmicas quanto dermatológicas.

Dentre as principais anormalidades ungueais estão aquelas decorrentes de traumas externos, de uso de medicações, de infecções (fúngicas e bacterianas), de algumas doenças sistêmicas (alterações do rim, do fígado, anemia, deficiências vitamínicas) e de doenças dermatológicas (psoríase e líquen plano).

Pelo exame clínico e, se necessário, alguns exames complementares, o dermatologista irá orientar o melhor tratamento para cada caso.

 

Urticária

Doença que acomete de 10% a 20% da população ao menos uma vez ao longo da vida e que caracteriza-se pelo aparecimento de placas vermelhas pelo corpo, similares a picadas de insetos.

Pode ser do tipo "urticária aguda", durando de alguns dias ou até semanas, ou "urticária crônica", permanecendo por meses ou anos.

Dentre as principais causas da urticária estão alimentos, remédios alopáticos e "naturais" e infecções. Porém, em uma porcentagem relativamente grande dos casos, em especial nas urticárias crônicas, não é possível descobrir a causa.

Nesses casos, exames complementares e biópsia cutânea podem ser necessários. Deve-se lembrar que inchaço dos lábios e/ou dificuldade para respirar são sinais de alarme e, nestes casos, o tratamento deve ser o mais rápido possível.

O tratamento principal é a eliminação do agente causador e a associação de medicamentos anti-histamínicos.

 

Verrugas Virais

São lesões benignas causadas por alguns subtipos do vírus HPV, caracterizadas, na maioria das vezes, por pápulas de superfície esbranquiçada e áspera e são transmitidas por contato entre pessoas e, em alguns casos, podem ser bastante dolorosas.

Ocorrem em qualquer idade e área da pele, porém em crianças são mais comuns. Quando acometem a planta dos pés são conhecidas popularmente por "olho de peixe".

O tratamento abrange desde a utilização de medicamentos de uso domiciliar até a crioterapia (nitrogênio líquido).

A avaliação, feita por um dermatologista, irá identificar o melhor tratamento para cada caso, aumentando, assim, a eficácia do tratamento e evitando transtornos desnecessários.

 

Vitiligo

Doença cutânea, não contagiosa, que causa alterações esbranquiçadas na coloração da pele. Ela acomete somente a pele, mas em virtude das alterações estéticas decorrentes dela, ainda é muito estigmatizante.

É uma doença multifatorial, cuja principal alteração acontece no sistema imunológico, que passa a combater os melanócitos (células que produzem a cor da pele) do corpo.

O tratamento precoce é muito importante, assim como o acompanhamento de um médico dermatologista, que irá definir o tratamento mais adequado para cada caso.

(11)  3071.1181

Endereço:
Rua Pedroso Alvarenga, 1046, conj. 13/14 - Itaim Bibi
São Paulo - SP

Funcionamento:
De segunda a sexta, das 8 às 20h.
Sábado, das 9 às 13h.

Médica Responsável:
Dra. Suleima Arruda | CRM 88998

© Suleima Arruda Dermatologia

   by Estúdio Flor de Lótus